Literatura

Um Dia de Cão (Por: William Eloi)

 

 

Num sei contar as hora. Nunca aprendi. Também nunca me ensinaram não. Mas sei que tá perto. Sei porque os intestino avisa. É sempre a merma hora — imbora faça ideia não. Sei que tem sol quando ela vem. Fico aqui, quietinho, então ela chega. O cheiro vem antes dela dobrá esquina. Daí me […]

O ALPENDRE LITERÁRIO INOVA COM QUADRO DE ENTREVISTA E OUTROS GÊNEROS

 

 

 

O Alpendre Literário é mais um dos espaços de fomento ao livro e à literatura criado pela educadora, pesquisadora, escritora/poeta e produtora cultural, Rejane Souza. O coletivo foi criado em janeiro de 2018 em formato presencial no alpendre da casa de sítio da idealizadora. O objetivo foi de reunir um grupo de amigos (a) […]

Ta’angamyî Maracá: Emergência Indígena – narrativas emergentes de [re]existências (Por: Fábio de Oliveira)

 

 

“Há 519 anos nós, povos indígenas do Brasil, temos nos especializado em resistir”. Essa foi a fala da liderança indígena e coordenadora executiva da Articulação dos Povos Indígenas do Brasil (APIB), Sônia Guajajara, no início da ta’angamyî (webserie) intitulada Maracá: Emergência Indígena, fragmentada em oito episódios – para saber mais acerca da APIB e […]

Quando os vírus acordam (POR: José de Castro)

 

 

Já escrevi artigos em que afirmei que o Brasil de hoje está enfrentando dois vírus: o SARS-CoV-2, responsável pelas doenças respiratórias mundo afora, e que vem ceifando milhares de vidas por aqui; e um outro que é o vírus do desgoverno, representado pelo atual ocupante do Palácio do Planalto que, no fundo, acaba sendo […]

No Bagageiro da Bicicleta (Por: William Eloi)

 

 

Papai, o que acontece quando a gente morre?

Por que você tá me perguntando isso?
Sei lá. Porque acho que dói morrer. Eu não queria morrer. Queria viver por muito, muito, muito tempo.

Mas você não vai morrer agora.

Vou viver por uns… duzentos anos?

Não. Ninguém vive por uns duzentos anos. A gente envelhece e morre antes.

Eu queria […]

Vivendo sem expectativas. (POR: Marina Furtado)

 

 

Há uns bons anos eu era aquela pessoa que ficava ansiosa e precisava sentar porque tudo paralisava. A neurose tomava conta do meu cérebro e eu não conseguia fazer mais nada, pensar em nada, até a situação passar. Hoje eu vejo que isso acontecia principalmente porque eu gerava uma expectativa enorme em cima das […]

A banalidade (e a felicidade) do Mal!

 

 

Um conhecido meu, de quem me afastei há anos, tinha uma característica peculiar: Ele só parecia ficar feliz quando o assunto era a desgraça alheia. Em turmas circunstanciais falávamos de futebol, família, política, trabalho, quando em tom ameno ele sempre resmungava algo ou se mostrava mau humorado. Quando o tema passava para uma tragédia, […]

SERGUEI IESSIENIN (POR: Marcos Antonio Campos)

 

 

 

 
Estou caminhando pelas ruas,
Cabisbaixo, rumo às cavernas,
Que existem sob as poesias.

Estou caminhando pelas ruas,
Rumo à taberna mais próxima,
Procuro achar o eco de teus versos
Para um drinque ou uma Coca Cola.

Ainda resta um pouco de luz
Do dia que está em decomposição
E as centelhas vindas do céu de tua boca
Iluminam as estrelas de meu chão.

Observar o […]

POESIA DE AGRADECIMENTO E DESPEDIDA (POR: Vivian Anne Oliveira)

 

 

 

 

 
Pai, por onde eu começo?
Fazia tempo que você deixou de entender e dizer bem as palavras
Mas eu sabia que nunca deixou de entender gestos de carinho e amor
E eu fiz o que pude para você se sentir amado
Até mesmo quando você se ausentava de você mesmo
 
Você me ensinou tanto a entender as ciências exatas […]

O DIA DO PIQUENIQUE (POR: Flávia Arruda)

 

 

 

O coração acelerou, palpitando freneticamente, quase saindo pela boca. O corpo se desmanchava, ao incendiar num calor de 50 graus. Calafrios, corpo suado, mãos trêmulas, pernas bambas, boca seca, pensamento distante, respiração ofegante, raciocínio lento e desconcentrado. Uma euforia que insistia em dominar meu corpo e mente. Parecia que eu estava fora de orbita, […]