O ex-Ministro da Fazenda, Ciro Gomes, declarou nesta sexta-feira que estará no segundo turno da eleição presidencial de 2022. Além da sua presença, o cenário proposto pelo político cearense desconsidera as chances do atual chefe do executivo federal Jair Bolsonaro, além de incluir o ex-presidente Lula como seu adversário direto.

O ex-governador do Ceará ressaltou a culpa do Partido dos Trabalhadores em relação à ascensão bolsonarista e ratificou a necessidade de se constituir um projeto de desenvolvimento para o país. Sobre isso, Ciro, em uma eventual vitória, vai propor um acordo com partidos de base progressista. “O que estou procurando fazer: quero aliança com o DEM, PSD, PSB, Rede, PDT e PV. Se eu vou conseguir ou não é outra conversa”, disse.

No que concerne à hipotética ausência de Bolsonaro no segundo turno do pleito, Ciro sugere que, talvez, o atual presidente sequer esteja na corrida presidencial. Além disso, segundo Ciro, o governo atual é trágico, mas fruto dos problemas suscitados durante o período em que o PT esteve no poder. “Há muito tempo acho que o Bolsonaro não estará no 2º turno. Não sei sequer se estará na eleição. Sairá da cabeça da nação brasileira essa espada que obriga a esquecer todas as contradições do Lula e do PT só para se livrar do mal maior, mais emergente, mais doido, que é a catástrofe do Bolsonaro”.

Ciro Gomes, que concorrerá à presidência pela quarta vez, se apresenta como uma alternativa à provável polarização que ocorrerá em 2022 entre Lula e Bolsonaro, a chamada “terceira via”. Para conseguir seu objetivo, Ciro aposta na mistura entre proposições de ideias para o país e ataques contundentes contra seus rivais.