O chargista Antônio Amâncio teve o seu talento reconhecido não apenas no Rio Grande do Norte, mas em diversas partes do país, com um trabalho na edição da revista de circulação nacional “Caros Amigos”, a propósito de uma referência feita pelo artista àquele periódico.

Amâncio colecionou uma série de prêmios, distinções e menções honrosas oriundas dos Salões de Humor existentes nos mais diversos pontos do país. Assim, é que ele comemorou o destaque do seu trabalho em salões como o de Volta Redonda (RJ), onde foi selecionado, Piracicaba (SP), onde o seu trabalho mereceu menções elogiosas, além de inúmeros convites para emprestar seu pincel à participação em jornais, livros, eventos e acontecimentos culturais.

Autor das ilustrações no Jornal de Natal, Tribuna do Norte e Jornal de  Hoje, onde ocupou a função de chargista oficial das casas, Amâncio colaborou com diversos periódicos do Rio Grande do Norte e de outras Unidades da Federação. Dono de uma verve que causou inveja, como militante das causas sociais, com tendência política mais à esquerda, Amâncio teve lugar cativo em publicações de sindicatos e entidades de classe que lutam pelos direitos dos trabalhadores. Assim é que seus trabalhos participaram de um jornal de grande circulação nacional, o “Opinião Socialista”, tendo no Rio Grande do Norte, participação ainda nos jornais do SindSaúde (Sind Notícias). No informativo do Sindicato dos Trabalhadores do Poder Judiciário                 (“O Bedelho”), no “Jornal do Servidor”, do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Parnamirim, e no jornal do Sindicato dos Trabalhadores e Servidores Federais (“Sintsef”) e (“Sindprevs”).

Amâncio, que integrou o quadro de chargista do jornal de humor de circulação nacional em um periódico cult, o “Pasquim 21”, com tiragem semanal e editado pelo cartunista mineiro Ziraldo, ganhou, em 2005 o segundo lugar na categoria “Charge” no salão de Paraguaçu Paulista (SP). Suas obras já mereceram inúmeras menções honrosas em eventos que reúnem a fina flor da contestação política nacional. No caso de Paraguaçu Paulista, Antônio Amâncio compareceu com uma charge retratando Osama Bin Laden brincando de amarelinha quando criança. Para aqueles que tiveram a oportunidade de conhecer o trabalho, pôde verificar o jogo inteligente que o artista macauense realizou entre os atentados terroristas que levaram à destruição as duas torres gêmeas do World Trade Center, em Nova York, nos EUA, e as peraltices do perigoso terrorista Bin Laden.

No Rio Grande do Norte, seus trabalhos de humor corrosivo, retratando a política potiguar e seus personagens em composições que na maioria das vezes levaram os leitores a refletir sobre a situação política local, com a sua intervenção jocosa ou indignada contra as instituições, os costumes e as idéias daqueles que integram as oligarquias locais.

Em entrevista, ele externou seu ponto de vista acerca do que mudou para ele, após aparecer nas páginas de um jornal de importância de “O Pasquim 21”.

“Depois que entrei para o Pasquim 21, tive a oportunidade de transitar em diversas partes do Brasil, o que contribuiu muito para a divulgação do meu trabalho”. O autor macauense, com 32 anos em 2007, declarou que seu talento “veio do berço”, acrescentando que desde os sete anos desenvolve a arte, exercida de forma profissional a partir de 1995.

Apresentamos aqui alguns projetos que o brilhante e premiado chargista participou:

Projeto Janela Aberta, expôs caricaturas de Deputados na Assembleia Legislativa, no Café São Luís e na cidade de Macau (RN), no aniversário da cidade no Largo Cultural / SETEMBRO/2006.

Foram selecionados três trabalhos dentre 5.540 cartuns inscrito no 4º Salão Internacional de Humor de Foz do Iguaçu, cujo tema foi avião e também selecionado entre os melhores chargistas do Brasil na capa do Almanaque O PASQUIM 21. em agosto de 2004. Antônio Amâncio oferece algo que não tem preço: E arte não se divulga, não se compra, cada um tem a sua inteligência excepcional.