Asas

Um anjo de tez morena
abriu-me os ouvidos e a boca
queimou-me inteira
e feito incenso
subi aos céus do seu sublime claustro.
Meu anjo de tez morena
abriu-me o ventre e a alma
lambuzou-me inteira
e feito água
deslizei ligeira no seu peito adentro.
Acordei profanada de espasmos.