O ex-presidente Lula perdeu, em segunda instância, uma ação judicial contra Eduardo Bolsonaro, filho 03 de Jair Bolsonaro. Pela divulgação de uma fake news envolvendo a ex-primeira dama Marisa Letícia, a defesa do petista, que já havia perdido um recurso em março, pedia uma indenização de 131 400 reais do deputado, mas foi negada pela justiça do Distrito Federal.

 

Ainda no ano passado, Eduardo Bolsonaro veiculou a informação de que Marisa Letícia, falecida em 2017, tinha 256 milhões de reais em investimentos bancários, mas o valor verdadeiro era de 26 mil. Segundo informações da época, o motivo do erro foi atribuído a um falha de digitação de um juiz da 1ª Vara da Família de São Bernardo do Campo (SP).

 

Como base para atestar a absolvição de Eduardo Bolsonaro, o desembargador Rômulo de Araújo Mendes, do TJDFT, alegou que houve uma “confusão” de valores por parte do parlamentar, mas destituída de intenção em ferir a personalidade de Marisa. Nesse sentido, o reparo financeiro através dos danos morais foi considerado pelo magistrado como uma “pretensão descabida” por parte de Lula.

Além da derrota no âmbito jurídico pro clã Bolsonaro, Lula ainda foi obrigado pelo desembargador a pagar os honorários da advogada do seu rival, Karina Kufa.

 

Sobre a decisão favorável ao seu cliente, Karina ressalta: “O Tribunal de Justiça reconheceu que o deputado Eduardo Bolsonaro apenas manifestou dúvidas sobre parte do patrimônio de uma pessoa pública a partir de informações oficiais extraídas de decisão da própria Justiça. Ficou claro para o tribunal que não houve intenção de ferir o direito de personalidade da ex-mulher do ex-presidente”.

 

Foto: rd1.com.br